POR QUE VOCÊ COME TAPIOCA?

tapioca

Por que você come tapioca? Pelo mesmo motivo que você comprou (ou quis comprar) um livro para colorir. Porque estava todo mundo colorindo alvoroçadamente sob a justificativa de que a atividade nos aliviaria do estresse. O mercado sempre ávido de novidades não deixou por menos. Tinha livro para colorir sendo ofertado em todos os cantos e, pasme, foi a “obra literária” mais vendida em 2015. Quem lucrou mesmo foi a Faber Castell e seus genéricos.  Nunca se vendeu tanto lápis de cor fora do período escolar e para adultos. Foi uma febre. Mas acabou. E você não passou do quarto desenho do livro, doou tudo para uma criança e continua estressado.

Mas e a tapioca? Creio que segue quase o mesmo princípio. A gente come porque de repente só se fala nisso e na possível enxurrada de benefícios desse alimento tão ancestral e agora tão contemporâneo. Disseram que ela é fit, natural, magra… “Ela não anda, ela desfila, é top, capa de revista”. E você, eu, nos tornamos “tapioqueiros” levados pela multidão, feito folião esmagado em bloco de carnaval – “Levada louca… levada louca… levada louca pra dançar”. A Giovanna Antonelli come tapioca, deve ser bom mesmo (meu lado mais vulnerável do cérebro se justifica). E dá-lhe barraquinhas de tapioca por todos os cantos. Só na minha rua tem quatro. Sempre cheias. Quanta gente saudável!

Às vezes no silêncio da noite, ao invés de ficar imaginando nós dois, eu reflito sobre coisas da vida. E foi a vez de me questionar: porque mesmo eu estava comendo tapioca? Resolvi pesquisar sobre o tema com fontes seguras, dedicando horas na leitura de várias matérias e artigos. E a conclusão replicada por vários especialistas me tirou o sono de vez: a TAPIOCA não é essa rainha toda. O benefício mais evidente da goma de mandioca é que ela não contém glúten, tornando-se uma ótima opção para os celíacos (alérgicos a glúten). Vale lembrar que, segundo os estudiosos, não há nenhuma pesquisa cientifica que comprove que o glúten deva ser extirpado do cotidiano de quem não é alérgico a ele.

Há quem defende que o glúten – proteína do trigo – é a responsável por deixar o organismo inflamado e propenso a acumular gordurinhas. Mas essa questão entra em outra discussão.

Voltando à minha checagem, na disputa tapioca versus pão francês, ninguém ganha, dá no mesmo comer um ou outro (exceto para os celíacos). Já tapioca versus pão integral, o segundo ganha de lavada. Sim! De acordo com a grande maioria dos nutricionistas, é melhor comer pão integral a tapioca.

A tapioca é um carboidrato simples, sem fibras e pobre em nutrientes. Além disso, possui alto índice glicêmico (semelhante ao pão branco). Isso quer dizer que quando você come uma tapioca, ela se transforma rapidamente em açúcar no sangue, o que tende a favorecer o acúmulo de gordura. Mas é uma boa opção de lanche pós–treino.

E para quem gosta de falar em calorias (não é o meu caso), há especialistas que afirmam que a tapioca, sem recheio, pode se igualar a uma fatia de pão, dependendo da quantidade que você usa no preparo (recomenda-se duas colheres). E o recheio pode tornar tudo mais calórico, porque, diferente do pão, você não come uma tapioca só com manteiga.

Então a tapioca é ruim? Não, dependendo da marca e da origem, é um produto natural, sem conservantes, livre do excesso de sal, açúcar e gordura e merece respeito, principalmente para o controle do colesterol e hipertensão. Não contém glúten, como já falamos, o que é bom para os celíacos (alérgicos a glúten). E é possível atenuar o índice glicêmico acrescentando fibra na sua receita.

O que eu entendi nessa minha varredura é que a tapioca não é essa salvação toda e muito menos uma aliada para quem quer emagrecer ou comer mais saudável. É apenas uma opção extra de alimento a ser consumido com muita cautela. Assim como o pão branco. Só. Sua ascensão é mais comercial do que qualquer outra coisa. É o novo livro para colorir.

Eu passei a consumir tapioca ludibriada por sua imagem nutricional ilibada, principalmente na errônea disputa com o pão branco. Agora, vou voltar para o bom e velho pão integral (leia sempre o rótulo da embalagem para certificar se os ingredientes utilizados são integrais mesmo), com suas fibras, proteínas e vitaminas. E quer saber? Um pão torradinho com manteiga tem seu lugar. Se bater saudade, como tapioca também, mas sem idolatria.


O texto acima foi baseado em inúmeros artigos e matérias respaldados por nutricionistas, no qual compartilho os links abaixo.  Em caso de dúvidas sobre o consumo de tapioca e a finalidade dela em sua dieta, procure o seu médico. Minhas palavras propõem uma reflexão sobre modismos gastronômicos e não devem ser levadas à risca para a sua rotina. Estou aberta a ouvir orientação de outros profissionais da saúde sobre a tapioca e sua fama.

Links:

http://revistagloborural.globo.com/Noticias/noticia/2015/06/trocar-o-pao-por-tapioca-faz-bem.html

http://www.alinedeandrade.com.br/tapioca-mitos-e-verdades-por-tras-da-moda/

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2015/03/tapioca-ou-pao-frances-nutricionista-explica-o-que-e-melhor-para-dieta.html

http://www.gazetadopovo.com.br/viver-bem/saude-e-bem-estar/saude/tapioca-engorda-tanto-quanto-o-pao-frances/

http://marinastrazzer.com.br/tapioca-ou-pao/

http://www.uai.com.br/app/noticia/saude/2015/07/27/noticias-saude,187271/apesar-de-saudavel-tapioca-deve-ser-consumida-com-atencao.shtml

http://www.oncomedica.com.br/noticias/o-que-e-que-a-tapioca-tem,41070

http://www.joaopaim.com.br/2016/07/posso-substituir-o-pao-pela-tapioca/

http://www.otempo.com.br/interessa/moda-fitness-tapioca-%C3%A9-reprovada-em-testes-1.1364496

Anúncios