A TPM E O NHOQUE DE RICOTA. CUIDADO!

Quando estamos possuídas pelo espírito da TPM, a gente vê nossos sentimentos em um pêndulo que oscila entre a tristeza profunda do vale dos suicidas e a alegria eufórica de uma criança hiperativa na sorveteria. Qualquer passo em falso nos leva para esses dois polos em segundos. E foi nesse descontrole hormonal que um queijo Ricota me transformou – em pleno supermercado – de uma mulher normal para a macaca Monga se debatendo para sair de uma jaula e devorar o mundo.

Tudo porque o amado, sem saber no campo minado em que estava pisando, retrucou quando eu disse que testaria uma receita de nhoque com Ricota.  Entre uma bandeja de presunto e um queijo de cabra na seção de frios – distraidamente ele diz – ‘Arrgggg queijo Ricota… É sem sabor e caro’. Se fosse um dia normal eu daria razão e seguiríamos flutuando.  Mas, na mesma hora, amparada pelas entidades da TPM e regida pelo veneno dos nascidos sob o signo de escorpião, devolvi a ofensa (sim, aquela frase já tinha ganhado status de ofensa) ‘Podemos comprar um javali e assar, ninguém aqui está acima do peso mesmo’ – disse, com raios de fogo saindo pelos olhos.

Aí que ele sentiu a ameaça e ficou imóvel como se um portal tivesse sido aberto e de lá saído o Wagner Moura dizendo: Tenha a bondade. Zero 5, se o senhor deixar essa granada cair, o senhor vai explodir o mercado inteiro. O senhor vai explodir a sua amada, o senhor vai explodir os caixas, o senhor vai me explodir. O senhor vai dormir, Zero 5?.  Dali em diante ele assumiu um silêncio e um semblante neutro em sua defesa.

Já em casa, descontei a minha adrenalina hormonal fazendo o tal do nhoque de Ricota e, ao final do processo, o pêndulo do humor já tinha deixado a Faixa de Gaza e se encontrava em uma praça florida de Amsterdam.  Servi o amado – que ainda me olhava com certo receio como se me perguntasse com os olhos ‘quem está aí nesse corpo? A menina ou exorcista’?.

Serena e sorridente esperei que ele provasse o prato feito com Ricota – ‘o queijo ruim e sem gosto’. E, para preservar a própria vida, ele disse que estava maravilhoso. E estava mesmo. A paz reina novamente. Ele me abraça e diz “Ah, mas isso aqui não é bem um nhoque, parece mais um pão de queijo”…  (o público imaginário reage com ihhhhh). Eu, já espumando pela boca, com a cabeça virando em 360 graus perguntei, em um tom de voz entre o fino e o grave, “Como é que é?”.


A receita que me inspirou nessa crônica e na vida foi retirada do site GNT, na seção do programa Cozinha Prática , da chef Rita Lobo. Acesse o vídeo  com o passo a passo e divirta-se com esse sabor e momento.

 

Anúncios

Um comentário sobre “A TPM E O NHOQUE DE RICOTA. CUIDADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s