FRANGO, MANDIOCA E MUITO AXÉ!

Foto/reprodução www.panelinha.ig.br

O relógio marcava oito e cinquenta da noite quando entrei lá e só fui sair duas horas depois com o rímel borrado até o queixo (parecendo um panda desconstruído), com o rosto suado no estilo ‘acabei de sair da sauna’ e com as costas doendo, como já é de praxe.

Olhando essa imagem linda no espelho, poderia facilmente dizer que eu tinha dançado a noite inteira com direito a fazer ‘check-in no chão’, ou que tinha participado de um sexo selvagem, colocando o filme ‘Cinquenta tons de cinza’ no chinelo. Mas a única verdade que justificava meu visual pós-guerra atendia pelo nome de Bobó de Frango.

Esse tempo todo eu estava na minha pequena cozinha de dez metros quadrados, em um bairro carioca que em nada se parece com uma casa de shows ou um quarto de motel. Só em programas culinários de televisão que os cozinheiros nunca suam. Ficam intactos até o final do preparo do prato. Haja edição de vídeo, retoque de maquiagem e ar condicionado, viu!. Eu sou a realidade. É para suar a camisa, meu Rei.

Isso tudo aconteceu em plena segunda-feira, dia habitual de se afundar nas inquietudes da vida e de se entregar a uma preguiça sem fim.  Deitada na cama, olhando para o teto e organizando mentalmente minhas mágoas de 1998 (sou do signo de escorpião), me dei conta de que estava em dívida com o blog. No estalo, percebi que era hora de sair daquele ócio e me reconectar com a cozinha de transformação (que eu já falei aqui algumas vezes).

A receita, da chef Rita Lobo, era um bobó que no lugar do camarão entravam os cubinhos de frango. Eu vou te falar uma coisa, é preciso ter força no braço para mexer o creme de mandioca na panela. Depois dizem que baiano é preguiçoso. Esse movimento equivale a uma modalidade de malhação. Queima calorias. (Calma, receita ao final).

Quanto ao resultado, fui contemplada mais uma vez pelo amado cobaia emitindo sonoros hummmm, seguidos de dancinhas com a cabeça. Ele é honesto. Se estivesse ruim, falaria.

Eu achei que os cubinhos de frango ficaram meio borrachudos e que faltou um pouquinho de sal. Mas no geral, tinha um gostinho da Bahia, meu Rei. Mais uma vez fui salva pela gastronomia que me resgatou de uma segunda-feira possuída pelo mau humor.


Primeira vez no #cozinhasemfriltro? Aqui é um espaço que mistura crônicas culinárias e receitas produzidas por quem engatinha na arte de cozinhar. O erro aqui é bem vindo. É sem filtro. Deixe-se transformar pelo preparo – do zero – de um alimento. Navegue mais e divirta-se.

A receita que me inspirou neste dia e resultou nessa crônica culinária foi retirada do site Panelinha. Bora sacudir a preguiça e tentar algo diferente com um sotaque da Bahia. Axé!.

Ingredientes

500 g de peito de frango sem pele e sem osso

500 g de mandioca descascada
1 pimentão vermelho
1 tomate maduro
1 cebola
3 dentes de alho
1 pimenta dedo-de-moça
1/2 xícara (chá) de leite de coco (cerca de 120 ml) de preferência caseiro
caldo de 1 limão
4 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 colher (sopa) de azeite de dendê
1/4 xícara (chá) de folhas de coentro
sal a gosto
Modo de Preparo
Corte a mandioca em pedaços médios e transfira para uma panela de pressão. Cubra com água, regue com 1 colher (sopa) de azeite de oliva, tampe e leve ao fogo médio. Quando começar a apitar, abaixe o fogo e deixe cozinhar por 25 minutos.
Enquanto a mandioca cozinha, prepare os outros ingredientes: corte o frango em cubos médios de cerca de 2,5 cm, transfira para uma tigela e tempere com o caldo de limão; descasque e pique fino a cebola e o alho; lave, seque, retire as sementes e corte o pimentão e o tomate em cubinhos; lave e seque as folhas de coentro; retire as sementes e fatie fino a pimenta dedo-de-moça (para deixar o bobó mais apimentado, fatie com as sementes).
Após os 25 minutos, desligue o fogo e deixe toda a pressão sair antes de abrir a panela. Reserve a água do cozimento e transfira a mandioca para o copo do liquidificador. Junte 1 xícara (chá) da água do cozimento e bata até formar um creme liso. Reserve.
Leve ao fogo médio uma panela grande. Quando estiver quente, regue com 2 colheres (sopa) de azeite e doure os cubos de frango aos poucos, sem cobrir todo o fundo da panela – se colocar todos numa tacada só, em vez de selar e dourar, vão cozinhar no próprio líquido. Vire os cubos com uma pinça para dourar por igual. Transfira para outra tigela e repita com o restante do frango (não descarte o caldo de limão).
Mantenha a panela em fogo médio e faça a deglaçagem: regue com 1 xícara (chá) da água do cozimento da mandioca e o caldo de limão em que o frango foi temperado; misture bem, raspando os queimadinhos formados no fundo. Transfira esse caldo para a tigela com o frango, passando por uma peneira.
Diminua o fogo para baixo e, na mesma panela, adicione o azeite restante, a cebola e o pimentão. Refogue por 2 minutos, mexendo de vez em quando, até murchar. Junte o tomate e misture até desmanchar os cubinhos. Por último, adicione o alho e a pimenta dedo-de-moça. Refogue por mais 1 minuto.
Acrescente o creme de mandioca ao refogado e misture bem. Quando ferver, volte o frango (com o caldo) para a panela, misture e deixe cozinhar por cerca de 2 minutos. Junte o leite de coco, o azeite de dendê e misture bem. Prove e tempere com sal a gosto.
Desligue o fogo, salpique com as folhas de coentro e sirva a seguir acompanhado de arroz branco.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s